san francisco: o que fazer

San Francisco me surpreendeu. Não sabia exatamente o que esperar da cidade, mas cada canto me trouxe histórias e cenários lindinhos.

Museus

De Young: museu de tudo junto e misturado. Gostei bastante de várias exposições, minha única crítica é um certo caos enquanto você percorre o museu. De repente você está numa sala de tapeçarias e, na sala ao lado, encara uma sala com máscaras africanas femininas.

Conservatory of Flowers: eu não costumo ir nesses museus de flores e plantas, mas confesso que a exposição de borboletas (vivas!) que estava em cartaz me animou. Você entra numa sala toda coberta de tela e convive com as borboletas.

Academy of sciences: museu de ciências mesmo, tem um planetário de respeito e uma exposição de mata tropical linda. Eu nunca acho essas coisas de mata tropical indoor tão legal, pois convivemos com ela ao vivo no Brasil. Mas a estrutura dentro do museu é admirável.

Esses três museus ficam dentro do Golden Gate Park, um passeio bem gostoso de se fazer. Para quem gosta de pedalar, tem aluguel de bike perto do De Young. Existe ainda a versão do MoMA em SF, mas na semana que estive lá ele estava fechado para reforma.

Ao ar livre (vulgo, cuidado com o vento, pois ele aparece em 117% das vezes)

Dolores Park: um parque delícia de ficar no fim da tarde. Fica cheio de gente e o espírito hippie reina. Leve seu cobertorzinho, uma comidinha e prepare-se para encarnar Janis Joplin.

Valencia Street: perto do Dolores Park, é uma ruazinha charmosa de restaurantes e compras. Só tem lojas locais (muito design, estilo e, infelizmente, preços caros), cafés/restaurantes e livrarias incríveis.

Fisherman’s Wharf: é o ponto mais turístico da cidade, de onde se pode admirar a água (Pier 39) e tomar um Clam Chowder típico (sopa de caranguejo, bacon e batata). Além disso, é mais ou menos de lá que você pode pegar o barco para conhecer Alcatraz ou pegar o famoso cable car e enfrentar os altos e baixos de SF.

Ferry Building: também no porto, era a antiga estação de ferry. Tem lojas deliciosas de comida, muito mais elaboradas do que qualquer coisa do Fisherman’s Wharf. Tem também uma loja incrível de coisas para cozinha, a Sur la Table.

Golden Gate Bridge: a ponte está lá e pode ser vista de diferentes lugares. Um passeio por Crissy Field dá uma bela vista, assim como alguns dos mirantes da ponte. Mas o que eu recomendo mesmo é você cruzar a ponte de bicicleta, até Sausalito. Em Fisherman’s Wharf você encontra uma série de opções de aluguel “bike the bridge”. Alugue, curta muito a vista, morra para subir, admire o fog na ponte e sorria ao descer a via que leva a Sausalito (dica: desça as escadas do Vista Point para cair numa estradinha mega fofa bike-friendly). Depois, se não tiver mais pique para pedalar tudo de volta, entre com a bike na ferry e seja feliz.

Painted ladies: casas vitorianas com pinturas especiais. Muita cor e boniteza para o seu coraçãozinho.

Comida

Tcho: chocolate hispter orgânico mais consumido de San Francisco. É realmente delicioso, portanto vale uma visita à fábrica, que fica na caminhada entre o Ferry Building e Fisherman’s Wharf.

Mission Chinese: chinês cool cujo chefe acaba de ganhar uma série de prêmios como chef revelação e pessoas mais criativas do mundo. É barato e é DELICIOSO.

Tacolicious: tacos muito bons na Valencia. Eu, que não seria originalmente muito ligada a um taco de peixe, recomendo fortemente que o peça. O pescado vai te surpreender.

Craftsman and wolves: não deixe de ir nesse café incrível e coma PELAMORDEDIOS o Rebel within, uma versão de bolovo de gema mole. Imperdível.

Zushi Puzzle: comida japonesa comandada pelo chef Roger, um figura que, se você se recusar a provar algo, vai gritar “EAT IT. THE FEAR IS IN YOUR MIND. EAT IT”. Peixes fresquíssimos e comida muito boa.

Acho que é isso. Tem também a livraria do Japantown, uma das maiores livrarias que já vi dedicada à cultura japonesa. Não é tudo japonês mas, o que não é, é super bacana. Vale a visita para se perder nos livros e trecos fofos para a vida (como um sapo de borracha que brilha na banheira). Alguns outros pontos que valem o registro: caminhadinha no Castro, vista de Twin Peaks e compras na Union Square.

See you later, San Francisco.

Leave a Reply