briefing: inteira ou meia?

É fato que publicitário adora fazer listas e coisinhas engraçadas sobre a própria profissão. Dessa vez eu não aguentei e acabei fazendo a minha listinha de tipos de briefing que você pode receber.

Briefing Catch me if you can: muito comum em diversos jobs, fica fugindo de você que nem rato de gato. Costuma estar dividido em diversas pessoas, o que faz com que você tenha que ficar correndo atrás de cada uma delas para juntar as peças. A sensação é de que ele nunca estará mesmo em suas mãos.

Briefing Matrix: do you want the red pill or the blue one? A verdade parece estar desconexa da realidade, o que nos faz pensar: afinal, o que será abordado na campanha?

Briefing Mullholand Drive: é um briefing muito louco, cada informação que chega destrói a anterior. Você vai lá, planeja, cria, desenvolve e, de repente, alguém abre uma caixinha azul e pede para aumentar o logo. Está mais para pesadelo do que para Cidade dos Sonhos.

Briefing Citizen Kane: é o famoso “eu quero um case para este job, ok? entrega daqui a duas horas”. Gente, com quantos paus se faz um trenó? Não é só colocar Rosebud no começo de tudo, tem que ter tempo, planejamento, criação e todas as viagens inclusas. Idéias geniais podem vir em um minuto. Assim como podem vir em 1 semana, 1 mês, 1 ano.

Briefing Inglorious Basterds: é daquele que você tem que matar a concorrência esquecendo qualquer tipo de politicagem e tal. Quanto mais sem noção for a maneira de matá-los, melhor. Junto com o relatório o cliente recebe os escalpos da concorrência.

Briefing Borat: fala sério que é isso que você quer para a sua imagem de marca?

– Garçom, pufavô, me vê um briefing Amélie Poulain?

2 Comments

  1. GENIAL!!!

  2. Andrew Pieries

    Nessa linha, podia ter o Briefing Van Dame, ele vem tão quadrado que fica todo apanhando enquanto ele estiver na casa.

Leave a Reply