nasce uma dadivosa

Não posso negar que minha porção dadivosa foi definitivamente acordada e anda cheia de energia. Nessa onda, aproveitei para fazer sessões com a minha avó Clara, cozinheira de mão cheia (e ponha cheia nisso). Por isso, de agora em diante vocês encontrarão algumas receitinhas por aqui, que estarão compiladas naquela aba lá em cima denominada Vó Clara.

Aproveito ainda para explicar um detalhe das receitas. Ela é avó, é judia e é do interior. Ou seja, uma combinação bombástica para sabores e degustações. No entanto, essas três características resultam em receitas quase impossíveis de serem escritas, porque é um tal de “aí vai 1 ovo só, quer dizer, hummm, ficou claro, pode colocar mais um, hummm, quase, acho que só mais uma gema resolve”. É assim que a minha avó cozinha e assim que estou aprendendo, por isso as receitas serão sempre um pouquinho a mais, um pouquinho a menos. No começo, para pessoas zero-à-esquerda que nem eu, dá aflição. Depois vira costume.

Bom apetite!

2 Comments

  1. a dadivosa já estava nascida! são os genes ou você me diz que consegue enrolar bolinhos idênticos na 1a tentativa?

  2. Concordo com o Weno que a dadivosa já estava nascida e crescida, só precisava mesmo era de aparecer pro mundo 🙂
    E poderia se chamar Mawadivosa, ou Dadiwá!
    A minha, por enquanto, está recolhida (porque ela tem dessas, vai entender), mas daqui a pouquinho aparece.
    Mientras… (gosto mais de mientras que de enquanto isso), vou espiar essas receitas da Vó Clara, que devem ser lindas (as receitas e a vó)
    Um beijo

Leave a Reply