sophie calle

Olha, eu sou uma artista e não apenas uma mulher que sofre.

Sophie Calle, em sua palestra no Sesc Pompéia, tentando explicar ao público que sua arte é diferente de sua vida pessoal. Sim, estão interligadas, mas uma não representa a outra. Isso, pra mim, resume muito do que ela é e de qual é a sua proposta. Suas exposições chocam o público por exporem o privado, mas na verdade o privado é apenas um primeiro passo para a criação. Depois disso, o real privado passa a ser apenas um real fantasioso.

Outro ponto que me chamou atenção foi o fato dela dizer que sempre espera encontrar um fim natural para seus projetos. O fim de Cuide de você, segundo ela, foi o encontro com o ex na Flip. Ora, sendo assim, não cabe a mim interpretar a carta que Sophie respondeu mas, talvez, enviar uma mensagem a ela:

alma

A alma dela parece estar mais na parede do que na pele.

Leave a Reply