sem tempo para poesia

Ele respondeu ao chamado dela que, do seu jeito, havia sido impessoal e prático o suficiente para que ele entendesse que havia pressa. Só que a resposta veio cheia de metáforas e perguntas e ela enrugou a testa. Passado o infinito de cinco minutos bravos, surgiu-lhe um sorriso no rosto. A mensagem era poética, enigmática, nonsense e, por tudo isso, engraçada. Riu.

Se não há tempo para poesia, seu moço, atente.  Há algo de errado.

Leave a Reply